NOTAS BREVES

- "Coimbra" em 24 versões, em diferentes línguas e com vários estilos
"Coimbra", a canção que celebrizou a cidade dos estudantes por todo o mundo,
vai surgir num novo disco em que são apresentadas 24 interpretações da
composição, entre as quais as de Bing Crosby, Louis Armstrong e Caetano
Veloso.
Foi Alberto Ribeiro quem primeiro interpretou a canção, em 1947, no filme
"Capas Negras", de Armando Miranda, mas foi com Amália Rodrigues, numa
digressão internacional três anos depois, que "Coimbra" ultrapassou
fronteiras e começou a ficar conhecida.
Pela voz de Amália Rodrigues, "Coimbra" tornou-se um símbolo e passou a ser
referenciada como "Abril em Portugal", "Avril au Portugal" ou "April in
Portugal".
É agora, em vésperas do 30º aniversário do 25 de Abril, que 24 versões da
canção composta por Raúl Ferrão, com letra de José Galhardo, vão ser
reunidas no disco "Coimbra". Nele encontram-se interpretações de Louis
Armstrong, Caetano Veloso, orquestra de Bert Kaempfert e Eartha Kitt, bem
como do coro dos antigos orfeonistas de Coimbra.
Entre as cerca de 200 versões conhecidas da canção, foram seleccionadas
ainda as de Bing Crosby, Tony Martin, orquestra Lambeth Community Youth
Steel, Liberace, Chet Atkins, Lucho Gatica e Xavier Cugat, sem esquecer as
interpretações de Alberto Ribeiro e Amália Rodrigues. Estas versões variam
não só nos idiomas linguísticos e musicais, com vários ritmos e estilos
musicais.

- Organização quer festival Rock in Rio em três continentes em 2007
O organizador do Rock in Rio, o empresário Roberto Medina, revelou que
pretende realizar o festival simultaneamente em três continentes - Oceânia
(Sidney), Europa (Lisboa) e América (Rio de Janeiro e Nova Iorque) no ano
2007.
Segundo Roberto Medina, a diferença de fusos horários deverá permitir fazer
um festival durante 24 horas. "Portugal pode abrir as portas para um sonho
antigo meu, que é fazer Rio, Lisboa e Sidney", afirmou.
O empresário brasileiro admitiu que as negociações com a Austrália estão
numa fase preliminar, mas garantiu que a autarquia de Sidney já ofereceu a
área utilizada nas Olimpíadas para a realização do festival de rock. Depois
do Rock in Rio-Lisboa, Roberto Medina vai deslocar- se aos Estados Unidos
para reuniões com o empresário americano Michael Lang, responsável pelo
histórico festival de Woodstock, para discutir a possível realização do
projecto em Nova Iorque.
"É a primeira exportação de um projecto de entretenimento na história do
Brasil", referiu o empresário.

- Vitorino e Janita Salomé cantam José Afonso em novo CD
Vitorino e Janita Salomé reuniram temas de José Afonso que cantaram nos
espectáculos realizados em 1998 no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, e
cuja gravação está já disponível em CD.
Os espectáculos "José Afonso - A Utopia e a Música" - realizados a 22 e 23
de Fevereiro de 1998 - deram origem ao CD produzido por Vitorino e Paulo
Pulido Valente. Os arranjos e direcção musical são de João Paulo Esteves
Silva. "Os Eunucos", "Chamaram-me cigano", "Avenida de Angola" e "Grândola"
são alguns dos temas interpretados neste CD gravado ao vivo e que é ditado
com a chancela da EMI-Valentim de Carvalho.
"De Zeca Afonso, tudo se disse, mas já nada se sabe" afirma Vitorino, em
forma de justificação, no "booklet" que acompanha o CD.
Todavia, dos 15 temas interpretados, dois não têm a assinatura de Zeca
Afonso. São eles "Rua do Quelhas" (de António Lobo Antunes/Vitorino) e
³Zeca² (Hélia Correia/Janita Salomé).

- Juan de Santa Maria apresenta novo CD com temas de Saramago
O cantor espanhol Juan de Santamaria apresentou a semana passada, na
Fonoteca Municipal, em Lisboa, o novo disco, intitulado "Feitiço ibérico:
Fados e outros cantares ibéricos", composto por poemas de José Saramago e
Juan Ramón Jiménez.
Juan de Santamaria interpreta alguns dos temas do CD - produzido por Maria
de Lourdes Carvalho - com Luís Ribeiro (guitarra portuguesa), Lelo Nogueira
(viola de fado) e Marino de Freitas (viola baixo).
O actor Morais e Castro disse alguns poemas de Juan Ramón Jiménez e José
Saramago, os dois poetas escolhidos por Juan de Santamaria que, além de
serem ibéricos têm também em comum terem recebido o Prémio Nobel da
Literatura, respectivamente, em 1956 e 1998. Maria de Lourdes Carvalho
qualificou este como "um trabalho de cruzamentos musicais. É um disco dos
sons do sul onde o fado é cantado com a pujança de um andaluz ou onde as
vibrações da Andaluzia são sentidas de forma nostálgica como no fado", disse
a produtora, que adiantou: "este CD tem uma grande mais valia cultural ao
cruzar palavras e sentimentos ibéricos".
De José Saramago o cantor escolheu "Retrato do poeta enquanto jovem" e
"Nesta esquina do tempo", musicados por Leonor Leitão Cadete, "Dia não",
musicado por Carlos Neves, "Advinha", musicado por Manuel Domingos,
"Aproximação" e "Inventário", musicados pelo intérprete.

 


Voltar à primeira página desta secção

Voltar à primeira página desta edição

Copyright © 1997/2001 The Portuguese Times
Autorizada a reprodução de artigos publicados nesta página desde que mencionada a origem