Rhode Island

AUGUSTO PESSOA (Correspondente)
Delegado em Rhode Island
Tel. (401) 728-4991

 

Convívio Penalvense em apoio aos sobreviventes do maremoto asiático movimenta 700 pessoas

O convívio penalvense, pioneiro nos encontros regionais, teve a sua edição
no passado sábado no Clube Juventude Lusitana em Cumberland.
Este convívio, além do encontro amigo e familiar tem feito convergir os
fundos angariados para as mais diversas finalidades, tendo sempre em conta
os mais desprotegidos da sorte.
Este ano os fundos serão entregues ao American Red Cross, que por sua vez os
fará canalizar para apoio aos sobreviventes do maremoto asiático.
Desde a doação de uma cadeira de rodas a centenária senhora em Penalva do
Castelo, ao apoio ao Lar da Terceira Idade, e porque não dizê-lo ao apoio
financeiro ao Clube Juventude Lusitana, os penalvenses têm endereçado a sua
acção de bem fazer a causas que merecem a sua atenção e generosidade.
Este movimento de solidariedade face aos sobreviventes do maremoto foi mais
uma acção de bem fazer que vem sublinhar o sentir da comunidade face aos
mais desprotegidos da sorte.
"Todos os fundos angariados no convívio penalvense e Amigos de Penalva serão
canalizados através da American Red Cross para os sobreviventes do maremoto
asiático cujas imagens das consequências devastadoras correram o mundo
criando de imediato um movimento de solidariedade", disse Tony Costa, que
uma vez mais conseguiu movimentar a comunidade, não obstante esta zona ter
sido fustigada por mais uma tempestade de neve.
"Convém sublinhar que os fundos para atribuição das bolsas de estudo são
provenientes da Confraria Penalvense e ainda com o valioso contributo de
João Rodrigues, bem sucedido empresário na cadeia de Dunkin' Donuts na
Flórida que nunca esqueceu as origens penalveneses", disse o presidente do
convívio e grande dinamizador desta e outras actividades comunitárias.
"Temos aqui a abrilhantar a noite e gratuitamente o conjunto Hotline e ainda
Maurício Morais, cujo contributo tem sido valioso e reflecte-se na enorme
adesão que esta iniciativa penalvense teve no mundo comunitário de Rhode
Island", disse Tony Costa, que viu entre os presentes o mayor David Iwuc,
que esta coisa de política tem de ser moldada de acordo com a ocasião.
Democraticamente falando é assim que deve ser. Perder ou ganhar, é melhor
alinhar por estes últimos que os outros já são história.
Devido à festa a proibição de estacionamento tendo em conta que se estava
sob mais uma tempestada de neve só entrou em efeito a partir da 1:00 da
manhã. Os amigos são para as ocasiões e para receber as "benzeduras"
penalvenses e o baptismo da "trilogia sagrada" (queijo da serra, maça de
Bravo de Esmolfe e vinho do Dão) David Iwuc prometeu ir a Penalva do Castelo
no verão deste ano. "Conseguimos uma adesão de 680 pessoas em três semanas.
Muitos mais poderiamos ter, mas tendo em conta as medidas de segurança
obrigatórias tivemos de cancelar a venda dos bilhetes. Uma curiosidade que
não quero deixar de fazer referência foi o facto do rancho Alto Minho de
Norwood se ter feito representar pagando o seu bilhete para aumentar ainda
mais o total da receita", concluiu Tony Costa.
Os penalvenses têm sido os grandes obreiros da comunidade lusa radicada em
Valley Falls. A eles se deve a construção do Clube Juventude Lusitana e
igreja de Nossa Senhora de Fátima. O seu poder de iniciativa sob a batuta de
Tony Costa conseguiu a realização do primeiro arraial do Dia de Portugal na
Broad Street em Cumberland que seria mais um sucesso a sublinhar a acção
daquele activo grupo beirão.


Voltar à primeira página desta secção

Voltar à primeira página desta edição

 Voltar à Primeira Página

Copyright © 1997/2001 Portuguese Times
Autorizada a reprodução de artigos publicados nesta página desde que mencionada a origem