"Transparente", o novo CD de Mariza

"Transparente" é o título do novo álbum de Mariza, nas lojas a 25 de Abril,
produzido pelo brasileiro Jaques Morelenbaum, que inclui poemas de Florbela
Espanca, Fernando Pessoa e Alexandre O'Neill.
O CD foi gravado no Rio de Janeiro, no início do ano, e segundo declarações
da fadista procurou-se "tratar o fado com dignidade e não lhe impor limites,
reconhecendo a linha até onde ir".
A fadista afirmou-se "confiante no trabalho" notando-se grande maturidade na
interpretação dos diferentes temas, com realce para "Duas lágrimas de
orvalho", que Mariza interpreta apenas acompanhada ao violoncelo por Jaques
Morelenbaum.
Além de temas inéditos, assinados, entre outros, por Aldina Duarte, Mário
Raínho, Paulo Carvalho, Pedro Campos e Paulo Abreu Lima, a fadista volta a
interpretar Fernando Pessoa e Florbela Espanca.
Do poeta de "Mensagem", Mariza interpreta "Há uma música do povo", com
música de Mário Pacheco, que também musicou "Cavaleiro monge" e a acompanha
na guitarra portuguesa, enquanto de Florbela Espanca canta "Desejos vãos"
com música de Tiago Machado, que compõe para a fadista desde o seu primeiro
CD, "Fado em mim" (2001).
Outros poetas escolhidos são Alexandre O'Neill, com "Há palavras que nos
beijam", musicado por Mário Pacheco, e Vasco Graça Moura, cuja "Toada do
desengano" Mariza interpreta no fado Franklin Godinho de sextilhas.
"Meu Fado meu" será o primeiro single, um tema com letra e música de Paulo
de Carvalho, onde a dado passo a fadista canta: "Trago um fado no meu
canto/no meu canto a Mouraria".
Além deste inédito, Paulo de Carvalho assina também "Fado português de nós".
Outros inéditos são da autoria de Fernando Tordo ("Fado Tordo"), Aldina
Duarte, ("Malmequer", que Mariza interpreta no Fado Menor), Pedro Campos,
("Montras"), Mário Raínho, ("Recusa", cantado na Fado Magala) e da dupla
Paulo Abreu Lima e Rui Veloso, que assinam "Transparente", o tema-título.
Entre os 14 temas que constituem "Transparente", editado pela EMI Music,
três são recriados por Mariza como tributo a Amália Rodrigues, Fernando
Maurício e Carlos do Carmo.
São eles, respectivamente, "Medo" (Reinaldo Ferreira/Alain Oulman), "Quando
me sinto só" (Artur Ribeiro/Fado Alexandrino de Joaquim Campos) e "Duas
lágrimas de orvalho" (João Linhares Barbosa/Pedro Rodrigues).
Depois de "Fado em mim" (2001) onde Mariza, que fez parte do grupo
Funkytown, afirmava o seu lado fadista, "Fado Curvo", editado em 2003,
mostrava, nas palavras da fadista, "que o fado não era uma canção limitada".
"Transparente" acentua o cariz pessoal, quer pela sonoridade alcançada quer
pela escolha cuidada dos temas, alguns reveladores da personalidade da
fadista.
A produção de Jaques Morelenbaum é notória na sonoridade alcançada,
nomeadamente pelos arranjos feitos nos fados tradicionais e na direcção das
cordas (violoncelo, violinos), já ensaiadas pela fadista em anteriores
álbuns, bem como na concepção sonora final. A sua participação como
instrumentista nos temas "Malmequer" e "Quando me sinto só", além de "Duas
lágrimas de orvalho", valoriza o álbum.
Morelenbaum tem trabalhado quer como músico, quer como produtor, com
destacados nomes da música internacional, nomeadamente Sting, Caetano
Veloso, Egberto Gismonti, Ryuichi Sakamoto, Tom Jobim, Madredeus, Gal Costa
e Carlinhos Brown, entre outros.


Voltar à primeira página desta secção

Voltar à primeira página desta edição

Copyright © 1997/2001 The Portuguese Times
Autorizada a reprodução de artigos publicados nesta página desde que mencionada a origem