Rhode Island

AUGUSTO PESSOA (Correspondente)
Delegado em Rhode Island
Tel. (401) 728-4991


No passado domingo em Pawtucket
VI Festival de Gastronomia e Folclore abriu com sucesso celebrações do Dia de
Portugal/RI/Herança Portuguesa


O  VI Festival de Gastronomia e Folclore, integrado nas celebrações do Dia de
Portugal/RI/Herança Portuguesa, inaugurou com sucesso o programa festivo que
tem o seu ponto alto com uma grandiosa parada e arraial agendada para o centro
da cidade de Providence.
A escolha do local recaiu no Clube Social Português em, Pawtucket uma das
activas presença lusas naquela cidade de Rhode Island que abriu as suas portas
para receber os apreciadores da boa gastronomia portuguesa e do bom folclore.
As portas abriram pelo meio-dia, já com filas de pessoas muitas delas levando
para casa pratos de comida por certo para o primeiro piquenique do ano, dado
que as condições assim o permitiam. As travessas de comida fumegante lançavam
no ar os mais diversos aromas gastronómicos, para abrir o apetite dos
apreciadores da boa cozinha portuguesa.
Do meio-dia às 7:00 da tarde os diversos pavilhões alinhados aos lados do
salão acolheram os diversos apreciadores da boa gastronomia, ao mesmo tempo que
tinham oportunidade de assistir a um excelente festival de bom folclore.
O salão encheu rapidamente e começou por ser uma dor de cabeça para a represen
tação do Clube Sport União Madeirense de Central Falls, que não teve outra
alternativa senão montar mesas no parque de estacionamento, no enfiamento dos
assadores do frango e carne de espeto.
A sorte é que as condições atmosféricas estavam nos 70’s e o festival deu
origem possivelmente ao primeiro piquenique do ano. 
Mas estas e outras iniciativas comunitárias não podem ser encaradas e
descritas em simples parágrafos, acabando por dar uma imagem distorcida da sua
realidade.
Não se pode retratar uma comunidade em peças de dois minutos.
“O Portuguese Times” e o “Portuguese Channel” fazem “milagres”, dizia
Rogério Medina.
Disse-o Fernanda Silva, orientadora pedagógica da escola do Clube Juventude
Lusitana.
São estes exemplos que justificam a existência destes dois orgãos de
comunicação social, que os fazem únicos na sua abertura total à comunidade.
É claro que esta abertura só faz sentido junto de organizações activas. E
ainda bem que as temos.
O salão do Clube Social Português abriu as suas portas à primeira m
anifestação do ano no âmbito das celebrações do Dia de Portugal numa tarde recheada de
sucesso.

Vamos à gastronomia
O Clube Social Português fazia-se representar por carne de porco à alentejana
e dobrada à Mondego com arroz.
O sucesso das vendas (135 pratos) teve início ao abrir do festival. Pelos
vistos as coisas corriam de feição aos anfitriões do festival, que acabaram por
se classificar na terceira posição.

O Clube Sport União Madeirense de Central Falls continua a somar vitórias no
festival. A popular e saborosa carne de espeto atingiu tamanha popularidade
nos meios comunitários que dificilmente será batida. Para ajudar à venda, o dia
primaveril que se fez sentir reuniu muito boa gentinha em mesas ao ar livre e
todas com aquele saboroso petisco madeirense.
O frango de churrasco saltava dos assadores e ajudava a aumentar o número de
vendas que levaram à vitória.
O Clube Sport União Madeirense vendeu 259 pratos, o que lhe deu mais uma
vitória.

O Clube Juventude Lusitana de Cumberland é uma organização que divide os
louros com o vizinho madeirense. O bacalhau à Zé do Pipo já conseguiu a sua
popularidade nos meios comunitários e está para ficar.
A feijoada à transmontana completou a representação da organização de Valley
Falls que conseguiu vender 153 pratos.

O Cranston Portuguese Club trouxe ao festival bacalhau à Brás e dobrada com
feijão. As coisas corriam de feição e a representação de Cranston ficou-se com
52 pratos vendidos, dado que se esgotou o que tinham trazido para o festival.

A União Portuguesa Beneficente oferecia cabrito com batata assada e
codornizes com batata frita. O presidente António Marques salvou as honras da
representação da UPB, dado que o rancho Ramos de Oliveira não esteve presente no
festival de folclore.

A Sociedade Cultural Açoriana surgia pela primeira vez e trouxe ao festival
chicharros assados com batata e carne de vaca assada. A sua primeira
apresentação no festival não só foi à base de gastronomia como também do folclore.

O Coral Herança Portuguesa trouxe a sobremesa constituída de doçaria
tradicional ao festival.
A adesão foi grande mas por simpatia e amabilidade não foi informado o total
dos pratos de doçaria vendidos dado que foram as senhoras as consumidoras. As
mesmas que dizem estar sempre em dieta. Mas como nos dizia uma delas: “A minha
dieta começa segunda-feira”.

Festival folclórico
Um total de oito ranchos folclóricos desfilaram pelo palco do Clube Social
Português mostrando a vivacidade de uma segunda geração que contrariando os mais
péssimistas, ainda sentem nas veias o sangue luso.
E sendo assim tivemos uma tarde de convívio, tradição e mais uma demonstração
de que temos gente jovem para dar continuidade aos nossos costumes e
tradições.
Os ranchos folclóricos têm um elemento conhecedor do seu historial assim como
do reportório de actuação.
São eles que apresentam o agrupamento, tal como sucedeu no festival do
passado domingo. Qualquer interferência neste sentido não só altera a forma do
desenrolar da actuação como cria ambiente desfavorável ao rancho e seus
responsáveis. Quem faz o rancho, orienta, apoia, não gosta de interferências.
Saliento por exemplo a excelente apresentação do Danças e Cantares do Clube
Juventude Lusitana no Festival Portugüês de Provincetown no Cape Cod por
Luciana Borges. Falando num excelente português e inglês deu uma ideia do que era o
folclore.
Luciana Borges dançou naquele rancho, foi aluna da escola portuguesa. É
professora de português e espanhol e sabe falar a multidões em tom de voz
compreensível.
Isto é um exemplo dos muitos que temos a nivel de folclore e que acabam por
enaltecer os nossos valores étnicos. 
Mas como Luciana Borges temos mais elementos junto a cada rancho que dão
muito boa conta de si e dispensam mais apresentações.

Quem desfilou
Rancho de Santo António, Pawtucket
Danças e Cantares do Clube Juventude Lusitana, Cumberland
Rancho de Nossa Senhora de Fátima, Cumberland
Rancho do Alto Minho de Norwood, Mass
Rancho da Sociedade Cultural Açoriana, Fall River, Mass.
Rancho do Cranston Portuguese Club
Recordações de Portugal, Bridgeport, CT
Rancho do Clube Social Português, Pawtucket

Tendo por denominador comum a juventude, os ranchos prometem permanecer bem
vivos no seio da comunidade por muitos e longos anos.

Classificação final
1.º Clube Sport União Madeirense    259 pratos
2.º Clube Juventude Lusitana    153 pratos
3.º Clube Social Português  135 pratos
4.º União Portuguesa Beneficente    61 pratos
5.º Cranston Portuguese Club    52 pratos
6.º Sociedade Cultural Açoriana 20 pratos

 

 


Voltar à primeira página desta secção

Voltar à primeira página desta edição

 Voltar à Primeira Página


Copyright © 1997/2001 Portuguese Times
Autorizada a reprodução de artigos publicados nesta página desde que mencionada a origem