Comunidade

 

Supermercados de Massachusetts deixam de etiquetar os preços das mercadorias

Se gosta de ver o preço nas mercadorias que compra nos supermercados, a
partir do próximo só poderá ver o preço nas prateleiras ou então recorrer aos
equipamento eletrónico (scanners) para leitura das etiquetas com código de
barras.
Massachusetts era o último estado que obrigava os supermercados a afixar o
preço em todos os artigos à venda, mas a partir de 1 de janeiro de 2013
deixa de ser obrigatório, uma vez que o governador Deval Patrick assinou a
respetiva.
Lei idêntica tinha sido aprovada o ano passado no Michigan e chegou agora a
vez de Massachusetts.
Há dez anos que a Retailers Association of Massachusetts pedia a abolição
da etiquetagem, alegando que representa10% das despesas dos estabelecimentos.
No próximo próximo, os supermercados e mercearias deixarão de ter que
afixar os preços desde que satisfaçam certas condições.
Uma das condições é que o preço que o cliente vê na prateleira corresponda
ao que consta na caixa registadora, para evitar oportunismos já hoje muitos
frequentes. Se o preço da caixa registadora for superior ao que está
afixado, o cliente receberá um crédito de $10 e a loja será multada em $5.
A lei aplica-se tanto aos supermercados como às pequenas lojas de
conveniência (ou de vizinhança), que deverão dispor de equipamento eletrónico para
leitura dos códigos de barras.
Algumas lojas já não colocam etiquetas nos artigos, mas afixam nas
prateleiras e a partir do próximo ano todas serão obrigadas a fazê-lo e a afixar
também a data de validade dos produtos, se for caso disso..
Os clientes vão ter que prestar mais atenção ao que compram e conferir o
recibo.

 


Voltar à primeira página desta secção

Voltar à primeira página desta edição

Copyright © 1997/2001 The Portuguese Times
Autorizada a reprodução de artigos publicados nesta página desde que mencionada a origem