Comunidade

 

Padre benfeitor de visita aos EUA
“O Lar da Senhora do Ó de Freixo da Serra será um espaço capaz de
proporcionar um serviço de qualidade e rodeado das infraestrutas inerentes às
responsabilidades a que obriga o apoio aos mais idosos”

— Padre Jorge Gouveia ao PT

O envelhecimento e desertifição das regiões do interior beirão cria
situações por vezes alarmantes no que toca aos idosos, dado que os mais novos
seguem outros rumos.
Há aldeias com meia dúzia de famílias e outras um pouco mais populosas e
estas a terem no lar da terceira idade, a esperança de uma qualidade de vida,
que deve ser facultada a todos os mortais.
Mas a tão famigerada crise, que se passeia pelo mundo, atinge fortemente os
mais desprotegidos da sorte, que vêem em benfeitores, como o padre Jorge
Gouveia, uma réstea de esperança para um final de vida digno, como aliás,
todos devem ter direito. 
“Pela manhã da passada segunda-feira fomos visitados pelo padre Jorge
Gouveia da aldeia de Freixo da Serra, concelho de Gouveia. Estudou aqui pela
América, Brasil e Alemanha. Vinha acompanhado por Urgel da Costa, também ele
natural do Freixo da Serra e que nos disse sobre o motivo da deslocação aos EUA.
 “Na minha visita tem a ver com a possibilidade de angariação de fundos
destinados a poder concluir a obra do Centro da Terceira Idade de Freixo da
Serra, para o que venho trabalhando nos últimos tempos.
Passo por aqui em período de férias depois de uma permanência de 26 anos na
Alemanha onde estudei a língua e me doutorei em Psicologia Religiosa.
Este projeto que a comissão de melhoramentos e eu próprio abraçamos tem em
vista o seu aumento, dado a grande procura. Além disto é necessário a
construção de uma capelinha e um ginásio.
Para que se levantem estas infraestruturas adquiri um terreno ao custo de
30 mil euros.
A primeira fase já foi inaugurada há cerca de dois anos, sendo um lar com
muita procura”, começou por sublinhar o o padre Jorge Gouveia, com uma vida
pelo mundo em pedaços repartida.

“Temos uma grande percentagem de idosos em Freixo da Serra. Há uma certa
dificuldade em poder comportar os pagamentos.
O máximo que lá temos são utentes a pagar 700 euros, gente que regressou
após a sua vida feita aqui pelos Estados Unidos.
No momento atual temos 23 utentes, mas precisamos de criar condições para 
uma capacidade de 50”, prossegue o padre Jorge Gouveia, esperançado em
atingir os seus fins.
“No meu apostolado de divulgação e angariação de fundos para o projeto já
percorri a Alemanha, Suíça, Luxemburgo, Bélgica, Bruxelas, Paris, Portugal de
norte a sul com os meus livros. Já escrevi 21”, continua o padre visitante
que vem correndo mundo, para a concretização do aumento do lar dos idosos de
Freixo da Serra, que avança com os números.
“Agora precisamos de um milhão e 500 mil euros, para completar o projeto.
Tudo o que tenho de pessoal já está à disposição dessa obra. Será o Lar de
Nossa Senhora do Ó. Gostaria de ver a aquela obra concluída.  Já consegui
alguns fundos, mas são necessários. para concluir o projeto. Tem sido uma luta
contra o tempo de forma a que a obra se mantenha no seu curso normal.
Freixo da Serra é uma terra com pouca gente e como tal com pouca força
eleitoral, pelo que não desperta qualquer interesse por parte dos políticos.
Quero criar um lar com base estrutural e com base económica para se poder
manter”, acrescenta o padre Jorge Gouveia.
“O que me levou a fazer o lar, foi para evitar que os idosos ali morressem
abandonados. Mais de 20 mil portugueses não têm um lar em que possam passar
uma velhice digna. Também há lares que são obrigados a fechar por falta de
condições... O lar que nos propomos concluir será um espaço capaz de oferecer
um serviço de qualidade e rodeado das infraestrutas inerentes às
responsabilidades a que obriga o apoio aos mais idosos. Passei pelo Canadá e agora
aqui pelos EUA com a intenção de conseguir o apoio que necessito para concluir
a obra  de apoio aos idosos de Freixo da Serra”, concluiu o padre Gouveia,
entrevistado na redação do PT.


Voltar à primeira página desta secção

Voltar à primeira página desta edição

Copyright © 1997/2001 The Portuguese Times
Autorizada a reprodução de artigos publicados nesta página desde que mencionada a origem