Festival de Gastronomia e Folclore este domingo no Clube J. Lusitana

 

O Festival de Gastro­nomia e Folclore tem lugar domingo no Clube Juven­tude Lusitana, integrado no programa das celebrações do Dia de Portugal/RI/2017. Será no dia 23 de abril com início pelo meio dia.

Uma vez mais espera-se uma lição de associati­vismo, tendo por base a gastronomia e o folclore.

É caso único em termos de comunidades, movi­mentar 7 organizações e 5 ranchos folclóricos, numa tarde e integrados no programa das celebrações do Dia de Portugal/RI/2017.

A coordenação do festi­val tem este ano a respon­sabilidade de Alberto Saraiva, Maria Brasileiro e Teresa Fidalgo.

Estarão representados: Clube Juventude Lusitana, com Bacalhau à Zé do Pipo, Feijoada e Filhoses; Clube Sport União Ma­deirense, com Carne de Espeto e Frango no Chur­rasco; Centro Comunitário Amigos da Terceira, com Alcatra e Chicharros; Escola Portuguesa do Clube Juventude Lusitana, com Bifanas e Chouriço com Pimentos no pão; Clube Social Português, com Bacalhau à Narciso e Cabrito à Social; Clube Português e Recreativo do Warren, com Alcatra de Polvo e Bacalhau à Espa­nhola; Cranston Portu­guese Club, com Bacalhau à Gomes de Sá e Rancho com Grão de Bico.

Por sua vez o folclore terá a representação do:

Rancho de Santo Antó­nio, Pawtucket; Rancho de Nossa Senhora de Fátima, Cumberland; Rancho do Cranston Portuguese Club, Cranston; Rancho do Clu­be Social Português, Paw­tucket; Rancho Danças e Cantares do Clube Juven­tude Lusitana, Cumber­land.

São esperadas centenas de pessoas, que anualmente têm apoiado esta passagem do calendário das festivi­dades num estado que de­tém a maior percentagem de portugueses, o maior número de luso eleitos e o mais relevante associa­tivismo. Como se isto já não fosse suficiente, as celebrações do Dia de Portugal em Rhode Island têm o seu apogeu em local de excelência no Water­Place, onde se desenrola o WaterFire, em que o folclore já se exibiu perante 35 mil pessoas.

E sempre que as marés estão pelo nosso lado, como será este ano, o êxito vai ser  mais uma realidade. E o mais importante em lugar de excelência. 

Isto é mais um exemplo do que é a comunidade portuguesa, por esta região, que se une, que se organiza, que mantém uma identi­dade, através das suas ini­ciativas. E aqui movimen­tam-se na ordem das cen­tenas de pessoas.

São estes exemplos, reais, que não só dão ânimo aos organizadores para continuarem, como mos­tram que embora inte­grados e votantes, gostam de manter os seus costumes e tradições. E contra factos, não há argumentos. É isto que une a comunidade, é isto que a comunidade gosta.

As diversas represen­tações vão montar o seu pavilhão de ambos os lados do salão, onde as bandeiras identificam a organização. Vai ser o encontro das associações, uma demons­tração pura de identidade.

Mas o associativismo de que vos falamos tem nome de batismo. E esse nome estava espelhado nas conceituadas organizações que são pilares da presença lusa nos EUA.