Mosaico Park em Bristol

“Já somo mais de 30 anos nesta profissão de embelezar a calceta”

— João Luís Cabral, pedreiro da Lagoa, responsável pelo restauro do Mosaico Park em Bristol

 

Passando a centenária igreja de Santa Isabel em Bristol e ao aproximarmo-nos do cruzamento entre as Wood e Franklin Street ouvimos o som caracte­rístico do martelo do cal­ceteiro. Mas este som vinha do martelo do mestre João Luís Cabral, que recons­truia o pavimento do Mosaico Park.

“Sou natural de Santa Cruz, Lagoa. Já somo mais de 30 anos nesta profissão de embelezar a calceta. Já deixei a minha marca na calceta de uma grande parte da Lagoa”, dizia-nos este homem simples, bom conversador, bom profis­sio­nal e com uma longa experiência do ofício.

“Já ultrapassei os 36 anos na Câmara Municipal da Lagoa. Tirei três cursos de desenhor de calçada em pedra. A partir dos moldes que se enche com pedra preta e depois surgem os desenhos com pedra bran­ca”.

Mas o mestre João Luís Cabral não via pela pri­meira vez o Mosaico Park: “Já lá vão 20 anos após ter calcetado este parque pela primeira vez e com pedra vinda da Lagoa. Regressei agora para reparar os estragos que as tempera­turas geladas de inverno provocaram na calceta que eu havia montado, com todo o gosto e carinho”.

A obra de arte de João Luís Cabral, desenrola-se aos pés do busto de Manuel Luciano da Silva, médico, historiador e profundo defensor da língua, costu­mes e tradições portu­guesas. Foi uma das mais ilustres figuras que a comunidade conheceu. Re­cebeu todas as condeco­rações e distinções, su­blinhando o seu raio de ação, imortalizado no Mo­saico Park que agora apre­senta uma nova fachada.

“A câmara de Bristol é irmã da câmara da Lagoa, pelo que o meu regresso pode acontecer para repor toda a pedra branca que está muito partida. Isto vai dos contactos entre as duas câmaras. Estou disposto a regressar quando as entida­des camarárias assim o entenderem. Estou encan­tado por estar aqui em Bristol”, concluiu o mestre Cabral.

O Mosaico Park surgiu de um movimento de inter­câmbio que teve por grande timoneiro o ativo Roberto Medeiros, na altura vice-presidente da Câmara Mu­nicipal da Lagoa. Estava na altura como administrador (mayor) em Bristol Halsey Heroshoff e na vida comu­nitária o saudoso Frederico Pacheco. Foram os osques­tradores do parque que hoje é um local de referência para quem visita a acolhe­dora vila de Bristol.

É este mesmo Frederico Pacheco que viu a sua passa­gem imortalizada num monumento em frente ao Mosaico Park, entre o Bristol Sports, a igreja de Santa Isabel a Associação D. Luís Filipe e a sede da Banda de Santa Isabel.

O regresso de João Luís Cabral para reparar o parque acontece durante uma visita de uma delega­ção de Bristol à Lagoa. O convite foi enviado ao admi­nistrador Steven Con­tente e a um grupo de em­presários. Durante e visita a delegação expressou as necessidades da reparação do parque”, disse por sua vez Tony Ávila.

A presidente da câmara da Lagoa, Cristina Calisto informou a câmara de Bristol que iria enviar o pedreiro que fez o parque para efetuar as necessárias reparações sem qualquer encargo para a câmara de Bristol.

 

• Fotos e texto de Augusto Pessoa