Oftalmologista portuguesa premiada na Universidade Harvard em Cambridge por descoberta inédita

 

A oftalmologista portuguesa Inês Laíns venceu um prémio da universidade de Harvard, em Cambridge, MA, para o melhor artigo científico sobre aquela especialidade, dedicado à perda de visão com o aumento de idade.

O artigo de Inês Laíns, que trabalha nos EUA, no Massachussetts Eye and Ear Hospital, refere-se a uma nova maneira de diagnosticar a dege­neres­cên­cia macular relacionada com a ida­de, estudando a rapidez com que o olho se adapta ao escuro.

O texto de Inês Laín­s dá conta do processo de con­fir­mação de que “a presença de determinadas lesões oculares está associada a um tempo maior necessário para que haja capacidade de ver no escuro”.

Essa conclusão permite “compreender melhor as alterações oculares que acontecem nesta doença”, o que é “crucial para poder desenvolver novas estra­tégias e alvos terapêuticos” para compreender a doença, uma das principais causas de cegueira.

— In JN