Condenado por defraudar idosos

 


Um homem de Boston foi condenado dia 23 de junho por defraudar idosos com um esquema de pedir dinheiro para pagar falsas fianças de familiares.
Júlio Feliciano, 32 anos, terá que cumprir três anos de liberdade condicional, a prestar 150 horas de serviço comunitário e restituir  $31.500 às suas vítimas.
Feliciano, que reside em Dorchester, organizou um esquema para defraudar os idosos convencendo-os a enviar dinheiro para o pagamento da fiança de faniliares para vários endereços de Rhode Island, a fim  para garantir a libertação desses parentes que o golpista alegava estarem presos noutro estado.
O ano passado, fazendo-se passar por advogado, Feliciano tentou enganar uma mulher 85 anos, do Tennessee, convencendo-a a enviar um pacote com $5.200 em notas de  $100 para uma pessoa cujo endereço era a loja da UPS em Bristol, para pagar a fiança do neto.
Quando o pacote chegou a Bristol, o gerente da UPS desconfiou e entrou em contato com a mulher, que lhe contou o que tinha acontecido. O gerente denunciou a suspeita de fraude à Polícia Estadual de Rhode Island e quando Feliciano chegou ao UPS para receber o pacote foi detido. Feliciando lesou várias pessoas na Carolina do Norte, Delaware, Illinois e Tennessee. Os pagamentos variaram de $7.000 a $9.500. Telefonemas a pedir dinheiro para contas inesperadas, como fiança, honorários de advogados ou contas médicas são táticas clássicas de vigarice e os idosos devem ter muito cuidado e falar com a pessoa a quem se destina a ajuda. A polícia alerta que nunca se deve fornecer pelo telefone informações privadas, como número do Seguro Social, conta bancária ou data de nascimento.