Carnaval este fim de semana em MA e RI

Tradição de mais de quatro décadas a encher os palcos de cor e alegria

Um total de 11 danças, entre as quais 10 bailinhos e uma  dança de pandeiro

 

 

Os salões das organi­zações, cujos responsáveis se prezam por manter viva a tradição do carnaval, vão abrir este fim de semana as portas ao reviver desta tão popular tradição tercei­rense.

Estes vão fazer parte do historial do carnaval, por estas paragens. Outros, que se fecham dentro de si, nunca ninguém saberá se abriram, se receberam danças.

 As sociedades das fregue­sias da Terceira vão ser palco da maior manifes­tação de teatro popular em Portugal e como já alguém o adiantou, no mundo.

Aqui pela diáspora, em nada inferior, as nossas danças, bailinhos, vão levar a alegria do carnaval aos palcos selecionados da Nova Inglaterra.

Tudo começou em Lowell no ano de 1973 pela mão de José Valadão, seu cunhado Francisco Mene­ses e Lou­renço Valadão.

Estava lançado o rastilho do que passados mais de 40 anos continua a ser uma das maio­res manifestações só­cio-culturais da comuni­dade. A José Valadão sucedeu o filho Délio Va­ladão, que tem sido não só um grande contributo à preservação, como à pro­jeção do carnaval.

Com uma experiência iniciada em 1967 na ilha Terceira, chega a Lowell, José Martins e com ele uma nova era carnavalesca na diáspora.

Em 1976 dá início à sua participação no carnaval, fazendo  parte de um bai­linho. A sua colabora­ção, neste sentido, mantém-se até 1982.

Mas José Martins tinha a família cheia de talentos, pelo que organiza um bai­linho da família Martins. O José tem três filhas: a Sónia, Suzana e Dília.

O Mateus (já falecido) deixa o Mateus Jr. e a Stephanie. O João tem mais dois filhos: Jonathan e Cristina. Para completar o ramo, surge o primo, João Ângelo Martins, que é o autor dos enredos e um dos executantes.

Em 1978, Lowell, que bem se pode considerar a “meca” do carnaval, vê chegar o “Sapateiro”, alcu­nha de João Fernandes, uma das figuras mais relevantes na ilha Terceira. Traz com ele os filhos Leo, José e Fernando Silva. Em 1980 o Carnaval pelos Estados Unidos co­nhece uma nova dinâmica, com o bailinho “O ensaio da filar­mónica”, da autoria de Fernando “Sapateiro”. Foi sucesso em alguns palcos e mal recebido em outros. Mas nada os fez parar. Se bem que o carnaval pelo norte fosse um viveiro de danças e bailinhos, pelo sul, li­mitavam-se a ver e a aplaudir.

Victor Santos, que come­çava a dar nas vistas, pelo seu entusiasmo na divulga­ção e projeção das tra­dições terceirenses, viu no carna­val, mais uma forma de mostrar o que vale.

Em 1981 escreve o bai­linho “A Tia Mariquinhas”, no que seria o grande arran­que do carnaval a sul de Boston. Hoje já soma mais de 24 assuntos escritos para bailinhos pela Nova Ingla­terra e Canadá.

Em 2003 foi um dos fun­dadores da Aliança Carna­valesca, que tem coorde­nado o carnaval ao longo dos anos.

Tal como as famílias Valadão, Martins, Sapateiro, Victor Santos conseguiu contaminar a mulher, Maria João e as filhas Tânia e Chelsea. Esta última, além de puxar a dança com a irmã, é ainda uma excelente executante de viola da terra e acor­deão. Filha de peixe sabe nadar.

Em 1989 surge ali por Cambridge, Leonel Xavier. Passa pelo carnaval, junto do Clube Desportivo Faia­lense, daqui vai para Lowell, onde sai com o bailinho do José António “Geraldino”.

Regressa a Cambridge e vai direta­mente à sede do Centro Cultural da Banda de Santo António, onde passa a escrever os assuntos e a ensaiar bai­linhos que se têm revestido do maior êxito.

Optando por uma pausa entrega o testemunho a José Messias Sousa.

Como depreende o amigo leitor, o carnaval roda no bom caminho e com futuro assegurado por muitas e frutíferas ge­rações. E ainda bem que assim é.

 

 

 

“AS ELEIÇÕES”

Localidade da dança... Cambridge

Clube Filarmónica de Santo António

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo José Messias Sousa

Responsável pela dança José Messias Sousa

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes Manuela Sousa

Ensaiador............... O grupo

Puxador (mestre) Rachael Sousa e Nichole Sousa

 

José Messias Sousa é hoje um dos grandes expoentes

do Carnaval pelos EUA. Iniciou-se em 1990, com

Délio Valadão e com os irmãos Martins, ali por

Lowell, “Capital do Carnaval”. É juntamente com Leonel Xavier, já na Filarmónica de Santo António,

em Cambridge, que consegue atingir lugar de

destaque, que conseguiu por direito próprio.

Teve grandes professores, sendo um aluno tão

aplicado, que hoje está ao nível dos professores

 

“A FARMÁCIA DO TOBIAS”

Localidade da dança...... Warren

Clube. Clube Recreativo Cultural

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo..... Hélio Costa

Responsável p/dança José e Imalda Araújo, Rui Perpétua

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador........ Sabrina Areias

Puxador (mestre). Sabrina Areias

 

José Araújo começou no carnaval ali por Stoughton

com Fernando Rocha. Nos últimos três anos passou

a fazer parte do carnaval junto do Clube Cultural

e Recreativo do Warren.

 

“PATRONOS DO AMOR”

Localidade da dança...... Lowell

Clube Portuguese American Civic League

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo João Ângelo Martins

Responsável pela dança Família Martins e amigos

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador............... O grupo

Puxador (mestre) Sónia Martins e António Martins

 

José Martins tem uma família cheio de talento, pelo

que organiza anaulmente um bailinho intitulado Família Martins. O José tem três filhas: a Sónia,

Susana e Dília. O Mateus (já falecido) tem o

Mateus Jr. e a Stephanie. O João tem mais dois

filhos: Jonathan e Cristina. Para completar o ramo, surge o primo, João Ângelo Martins, que é o autor

dos enredos de um dos executantes.

 

“BAILINHO DA CALIFÓRNIA”

Localidade da dança San José, Califórnia

Clube Grupo de Carnaval Cultural Português

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo......... Anónimo

Responsável pela dança Lisa Barcelos

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador Lisa Barcelos e Felícia Arruda

Puxador (mestre) Felícia Arruda e Marisa Rodrigues

 

Délio Valadão, filho de José Valadão, fundador

do Carnaval pela Nova Inglaterra e atualmente

com 87 anos de idade, assume a responsabilidade

da coordenação da vinda e desfile pelos salões

a norte e sul, tomando Boston como ponto de

referência do bailinho do Grupo de Carnaval

Cultural de São José, Califórnia.

 

“ARTISTAS E ALDRABÕES”

Localidade da dança... Cambridge

Clube Clube Desportivo Faialense

Tipo da dança. Dança de pandeiro

Autor do enredo..... Hélio Costa

Responsável pela dança Steve Dinis

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador......... Victor Santos

Puxador (mestre).... Steve Dinis

 

Steve Dinis iniciou-se aos 8 anos de idade na dança

de carnaval da Banda de Santo António de Cambridge

e nos últimos 20 anos tem feito parte da dança

de pandeiro do Clube Desportivo Faialense.

 

“TURBULÊNCIAS DA SATA”

Localidade da dança..... Peabody

Clube................ Individual

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo..... Hélio Costa

Responsável pela dança Raúl Pinheiro

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador............... O grupo

Puxador (mestre).......... Marta

 

Raúl Pinheiro é natural das Lajes, Terceira, onde

saiu pela primeira vez numa dança aos 17 anos

de idade. Veio para os EUA em 1994 e nunca

parou de organizar e fazer danças de carnaval

até aos dias de hoje, e já lá vão 21 anos.

 

“UMA MORTE TEIMOSA”

Localidade da dança...... Lowell

Clube P.A. Youth Center e Sociedade São João

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo..... Hélio Costa

Responsável pela dança Amigos do Carnaval

Autor da música Amigos do Carnaval

Responsável pelos trajes Amigos do Carnaval

Ensaiador.... Amigos do Carnaval

Puxador (mestre) Monica Victorino

 

Al Fagundes é mais um jovem da segunda geração, formado pela universidade carnavalesca de Lowell

onde se matriculou aos 11 anos de idade, tendo frequentado as aulas da família Martins e Délio Valadão. Concluiu o curso em 1999, tendo fundado

o grupo Amigos do Carnaval, que hoje é dos mais conceituados ali pelo norte.

 

“ALUNOS DESMIOLADOS”

Localidade da dança. New Bedford

Clube Banda Nossa Senhora dos Anjos

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo..... Hélio Costa

Responsável pela dança Paulo Quitério

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador............... O grupo

Puxador (mestre) Karoline e Carina Quitério

 

Paulo Quitério é mais um entusiasta do Carnaval por estas paragens dos EUA e assume pelo segundo ano consecutivo a responsabilidade de trazer a palco um bailinho. Iniciou-se no Warren e agora faz parte da Banda de Nossa Senhora dos Anjos, de New Bedford.

 

“AZORES AIRSHIT”

Localidade da dança...... Lowell

Clube Portuguese American Center

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo...... José Bento

Responsável pela dança José Bento

Autor da música.... Sandy Chaves

Responsável pelos trajes Sandy Chaves

Ensaiador............... O grupo

Puxador (mestre) Telma e Wanda Bento

 

José Bento iniciou-se pela Banda de Santo António

de Cambridge e mais tarde regressou a Lowell

onde saiu em diversas danças de carnaval! A sua longa experiência levou-o a iniciar a sua própria dança, que tem trazido aos palcos da Nova Inglaterra.

 

“PEIXE SÓ POR UM CANUDO”

Localidade da dança East Providence

Clube....... Phillip Street Hall

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo José Aurélio Aguiar

Responsável pela dança Steve Alves

Autor da música.... Jason Araújo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador........... Steve Alves

Puxador (mestre) Clésio Fagundes

 

“CIGANA TRAMBIQUEIRA”

Localidade da dança East Providence

Clube Portuguese American Center

Tipo da dança.......... Bailinho

Autor do enredo José Aurélio Aguiar

Responsável pela dança Liz Alves

Autor da música......... O grupo

Responsável pelos trajes O grupo

Ensaiador............. Liz Alves

 

Steve Alves tem sido um dos grandes impulsionadores do Carnaval por estas paragens.

Iniciou-se em Attleboro em 1989 juntamente

com seu pai e irmão Larry, este mais inclinado

para a parte musical. No ano de 2004 passou a fazer parte dos bailinhos surgidos junto do Phillip

Street Hall em East Providence, que anualmente

tem sido do maior êxito! Já esteve em digressões

à ilha Terceira, em 2006 em representação

do Phillip Street e no ano de 2008 com

os Amigos da Terceira! Como se vê, os artistas

dividem-se entre os diversos bailinhos e acabam

por colaborar uns com os outros, quando se trata

de digressões à terra de origem!

Steve Alves é casado com Liz Alves, que também

é responsável por um bailinho e esta com a característica de ser só constituída por mulheres

e que também já foi em digressão à ilha Terceira.

 

 

 

 

 

“De acordo com os assuntos das danças aqui publicados vai ser um carnaval divertido, cheio de música e alegria”

— Victor Santos, coordenador da Aliança Carnavalesca

 

Texto: Augusto Pessoa/Francisco Resendes

 

O Carnaval pela Nova Inglaterra acontece este fim de semana, a 6 e 7 de fevereiro de 2016, rotulado de uma das maiores manifestações sócio-culturais das comunidades lusas pelos EUA. Convém sublinhar que esta região, tem infraestruturas e tem gente que prima pelo seu poder de iniciativa. Tem festas com história aliadas a outras mais jovens que completam o ano das festas e romarias, num calendário que já se sobrepõe.

Esta semana temos o carnaval, com toda a sua gracio­sidade, alegria, cor e movimentação.

Ouvimos Victor Santos, coordenador do desfile e funda­dor da Aliança Carnavalesca.

“O carnaval 2016 peca em número de danças, com 11 grupos a desfilar, sem o entanto por em causa a qualidade das danças que sobem ao palco.

Houve alguns dos habituais que decidiram não sair este ano. Eles sabem os motivos. Em contrapartida vamos ter um grupo da Califórnia, mais propriamente do Grupo Carnavalesco de São José”, disse Victor Santos, acrescen­tando: “Já tivemos anos com 16 e mesmo 20 danças. Temos a dança de Fernando Rocha, que optou por trocar os palcos da Nova Inglaterra pelos palcos da ilha Terceira. É sempre uma experiência nova”, diz Victor Santos, profundo conhe­cedor do assunto, de que fala, com todo o entusiasmo.

Podemos acrescentar que os grandes obreiros do carnaval vão estar em palco, como sejam os Martins de Lowell, o Délio Valadão a coordenar a dança da Califórnia, a família Alves com duas danças, uma de mulheres, outra de homens. O José Messias de Sousa, que já tem dado muito boa conta do recado ali pela banda de Santo António de Cambridge. Este ano promete ainda melhor, dado que Leonel Xavier, que fez par com ele, optou por se juntar ao Fernando Rocha, de Stoughton na ida ao carnaval na Terceira. Amigos, amigos, danças à parte. Estamos a brincar, porque no carnaval nada se leva a mal e o certo é que José Messias Sousa e Leonel Xavier são dois grandes nomes do carnaval que vão regressar ao palco lado a lado, nos toques dentro, na dança da Filarmónica de Santo António.

Álvaro Fagundes é sempre mais um elemento a ter em conta à frente dos Amigos do Carnaval ali por Lowell, não esquecendo ainda Raul Pinheiro (Peabody); José Bento (Lowell) José Araujo (Warren) Paulo Quitério (New Bedford).

E Victor Santos, na sua qualidade de coordenador do carnaval, acrescenta,

“Vamos ter 6 danças a atuar nos salões do sul no sábado 6 de fevereiro pelas 4:00 da tarde. Como temos 8 salões na zona sul e 6 danças, vai haver dois salões a começar mais tarde, dado não haver danças para todos os salões.

Os salões a sul são, Stougton, Taunton Sports, banda Nossa Senhora dos Anjos, New Bedford; Banda Nossa Senhora da Luz, Clube Portuguese Recreatico do Warren, Phillip Street Hall em East Providence; Banda de Santo António em Pawtuket e Amigos da Terceira em Pawtucket.

“No norte com abertura dos salões pelas 4:00 de sábado, temos a banda de Santo António em Cambridge; o Hudson Portuguese Club em Hudson, os três clubes de Lowell, Lawrence e Peabody. São 7 clubes no norte”, prossegue Victor Santos, que passa a sublinhar o domingo.

“No domingo, as 5 danças começam a desfilar pela 1:00 da tarde nos diferentes clubes do sul e norte”, vai desbo­binando o coordenador do carnaval pela Nova Inglaterra, que espera mais um ano de sucesso e deixa uma adver­tência. “Esperamos grande aderência de público, dado que é muito diferente ver uma dança ao vivo num salão, e ver na internet. O grupo que fazia estas transmissões deixou de fazer”, continua Victor Santos, que nunca foi de acordo com esta prática. 

“Aquilo que se me apresenta, de acordo com os assuntos, hoje aqui mencionados, é que vai ser um carnaval divertido, cheio de música e alegria”, continua Victor Santos que guarda para o fim uma surpresa.

“Os Amigos da Terceira, vão ter um espetáculo de carnaval para os dois dias, que vai fazer rir e dispor bem”, concluiu Victor Santos, que deixa no ar além de um bom carnaval, mais uma excelente colaboração para manter viva a tradição.

 

 

• Fotos e texto de Augusto Pessoa