A sabedoria... Como é que nós a alcançamos?!...

 


Vem Ela dos tempos idos,
Cujo dia a dia  estudamos
Ideias dos falecidos,
Qu’ aos poucos as melhoramos!

Este saber, em geral,
Que se aprende de alguém,
Pode pender para o mal,
Ou pode ser para o bem!...

Só que, tudo o que se tenta,
Debaixo dos nossos Céus
Ou qu’ o humano inventa,
Tem a essência de Deus!...

Vejamos esta verdade:
Ciência e tecnologia,
Tem sempre necessidade,
De beber sabedoria.

E aonde ela se encontra?...
Em Deus, com o seu saber.
Uma amostra, uma montra,
Onde o sábio vai beber!...

A técnica, tem, sem favor,
Muito invento bem ufano
Tal como o computador
Copiando o cérebro humano!

Um computador perfeito,
Como um cérebro, ou parecido,
Seu tamanho, p’ ra ser feito,
Vai ter léguas de comprido!...

E tudo quanto se inventa,
Da técnica ou da ciência,
Nenhuma está isenta,
De beber de Deus essência!

Tudo qu’ a ciência faz,
Notem bem, amigos meus,
Ela somente é capaz
C’ o  pingo do que fez Deus!...

Eu enalteço a ciência,
Venha ou não dum sábio ateu,
Sua grande inteligência,
Que, também, Deus é qu’ a deu!...

Os inventos que se criam,
Obras lindas, bem perfeitas,
No mundo já existiam,
Nas obras por Deus já feitas!
Nos homens, nos animais,
Aves, peixes, bicharada,
Plantas, árvores gerais
E matéria inanimada!...

Tudo quanto vida tem,
Tem sido bem estudado,
Daí então é que vem
Um invento bem pensado!

Seja bem compreendida,
Quer por crentes ou ateus,
Toda a matéria com vida,
Tem a essência de Deus!...

Não é uma ideia estranha,
Estuda-se atualmente,
A bela teia d’ aranha,
Tão elástica e  resistente.

E ainda no mesmo espaço, 
Afirma-se qu’a mesma teia
É mais forte do que o aço,
Bem resistente em cadeia!

Por isso está em estudo,
A sua composição,
Depois de saberem tudo,
Vai haver nova invenção!

Outro invento do futuro,
São as lentes, que normais,
Se vê tudo no escuro,
Como certos animais!...

Um invento que, não nego,
Tem um toque divinal,
Copiado do morcego
Ou d’ algum outro animal!...

Isto é só demonstração,
Porque tudo que domina
Uma qualquer invenção,
Tem a essência divina!...

Os cérebros abençoados,
Dos sábios e cientistas,
Estão sendo bafejados,
Por Deus, sem nos dar nas vistas!...

Cumprem-se as profecias,
Porqu’ o que aqui vai escrito
E acontece em nossos dias,
Foi, há dois mil anos dito!..


P.S.
Saber demais!...

Dizem e eu quero crer,
Porque é de acreditar,
Quem afirma qu’ o saber
Não ocupa algum lugar!...

Só que, em certas alturas,
É coisa que nos molesta
E sendo em ditaduras,
O saber demais não presta!

Os ditadores são iguais,
P’ ra todos a lei ocorre,
Quem souber algo demais,
Antes do seu tempo morre!

Qual o motivo?  Não sei!...
Só que de novo acontece
Que quem tem um olho é rei
Não interessa se merece!...

Agora, o modo é moderno,
Um governo, estilo novo,
Não deve ser um governo
Que saiba mais do que o povo!...

Uma coisa que condeno
Nos discursos hoje em dia
Usar um calão obsceno.
Gritando democracia!...

P.S. do P. S.
A prece...

Senhor, Nosso Pai Eterno,
Vem expulsar Satanás,
Vem cumprir o teu  governo.
Cá, não há ninguém capaz!

Traz bem alta a tua voz,
Os governos atuais,
Rezam muito o Venha a Nós,
Rezam... e, cada vez mais!...

Depressa meu Jesus Cristo,
Se demoras, ao chegar,
Vais encontrar tudo isto,
Revolto, Pernas ao Ar!...

Depressa, para que torças,
Este viver nauseabundo,
O Atlas já não tem forças
-De segurar este mundo!...

Posso não ser merecedor
Deste pedido fervente,
Vem em prol, meu Senhor,
De toda esta boa gente!...

E o mundo tanto deseja.
Com reverência... assim seja!...