VIVA Portugal regressa ao centro de New Bedford a 06 de maio

 

VIVA Portugal foi um projeto surgido em 2016 como forma de enaltecer a presença portuguesa em New Bedford, através dos valores culturais e gastro­nómicos. Este ano realiza-se no sábado, 06 de maio, entre a 1:00 e as 7:00 da tarde.

“O Viva Portugal surgiu de uma conversa a três entre Rosemary Gill, do Zeiterion Performing Arts Center, Mike Tavares, presidente da Prince Henry Society e o cônsul. Dessa conversa surgiu a ideia de fazer um evento que conseguisse mobilizar a comunidade portuguesa e luso-ameri­cana da região. Desde o primeiro minuto houve logo a preocupação de integrar o maior número possível de organizações locais, que aceitaram o desafio e deci­diram integrar o projeto”, disse ao PT o cônsul de Por­tugal em New Bedford, Pedro Carneiro, satisfeito com a aderência da comu­nidade a esta iniciativa.

“A comunidade aderiu. Foi um evento muito inte­ressante. Trouxe muita gente à baixa de New Bed­ford, para assistir a uma celebração da cultura portu­guesa. E aqui gostaria de salientar dois factores de extrema importância. O primeiro é o facto de termos um evento muito variado, em termos de conteúdo. Conseguimos reunir um conjunto de atividades, desde a música à gastro­nomia, à literatura, à pin­tura, ao artesanato, à dança, num todo que permitiu às pessoas que visitaram o evento, fi­cassem a conhecer um pouco mais da cultura portuguesa. O segundo factor, este o mais impor­tante de todos, tem a ver com a grande mobi­lização e grande empenho das várias organizações em trabalhar em conjunto para o projeto. Houve 11 orga­nizações de New Bedford e Fall River que se empe­nharam de forma generosa e genuína neste projeto”, sublinhou Pedro Carneiro, ao que nós inter­pelamos com a possibi­lidade de relocalizar as celebrações do Dia de Portugal, face à aproxi­mação do evento e deste novo projeto.

“Não. Não é essa a inten­ção. Este projeto não con­corre contra o Dia de Por­tugal. Aliás desde a pri­meira hora que a comissão das celebrações do Dia de Portugal em New Bedford esteve envolvida neste projeto”. O evento aconte­ceu. O que nos foi dado observar foi sucesso”.

Mas será que vai ter continuidade?

Eis a res­posta:

“Não sei”, disse Pedro Carneiro, acrescen­tando: “A comissão organi­zadora vai fazer uma avaliação. E vamos pensar. Neste mo­mento ainda é prematuro tirar qualquer conclusão sobre o futuro”, disse o representante do Governo português, que viu a res­posta, quando na passada quinta-feira, teve lugar uma reunião destinada a avançar com os preparativos para a segunda edição do VIVA Portugal.

E aqui a grande atração vai ser a atuação de Carlos do Carmo no Zeiterion que promete casa esgotada.

O VIVA Portugal pode considerar-se uma aposta na excelência e numa segunda geração, entre a qual, Mike Tavares, engenheiro de profissão e presidente da Prince Henry Society.

“Gostaria de ver a conti­nuação do Viva Portugal no próximo ano. Vamos reunir e depois de ver os prós e os contras faremos uma decisão final”, prossegue o engenheiro da Horacio’s Sheet Metal, que ouviu a resposta na reunião da pas­sada quinta feira, quando se deu continuidade aos pre­parativos para a edição 2017 do Viva Portugal.

Esta segunda edição, tal como a primeira, deverá contar com amostras de gastronomia, arte, música, folclore e como novidades um concurso de massa so­va­da e uma mini-maratona de leitura de “Os Lusíadas”, de Luís de Camões.

O certaime conclui com atuação do consagrado artista português Carlos do Carmo, acompanhado por um trio de guitarristas, a partir das 8 horas da noite, no Zeiterion Performing Arts Center e que deverá o único espetáculo nos EUA. Segundo fonte do Zeiterion Performing Arts Center,  mais de meia sala está já esgotada e tudo leva a crer que a sala venha a encher para o dia do espetáculo com esta grande referência do fado e da canção portu­guesa.

Na próxima edição Portuguese Times publica uma extensiva entrevista com Carlos do Carmo.