Celebrou-se o 13 de Maio na igreja de Nossa Senhora de Fátima em Cumberland num prolongamento das celebrações na Cova da Iria

A fé está, onde está o crente

 

 

Milhares de peregrinos aclamaram sábado a visita pastoral do Papa Francisco a Fátima, como peregrino, e durante a qual canonizou os beatos Jacinto e Francisco. O Sumo Pontífice avistou-se com o presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa e o primeiro-ministro António Costa. O culto à Virgem Maria encontra eco nas comunidades lusas pelo mundo, designadamente na igreja de Nossa Senhora de Fátima em Cumberland, RI (foto abaixo) onde teve lugar uma procissão à qual aderiram centenas de pessoas provenientes das paróquias portuguesas de RI.

 

 

Fátima, palavra mágica que baila na mente do católico praticante. Cova da Iria, local das aparições de Nossa Senhora aos Três Pastorinhos em 1947.

Para festejar os 100 anos desta data histórica da Igreja Portuguesa, os dias 12 e 13 de maio, registou-se a presença em Fátima do Papa Francisco.

A muitas milhas de dis­tância pelas 7:00 da noite do dia 13 de maio, não obs­tante a chuva que se fazia sentir saia a procissão da igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Cumberland.

Uma procissão acompa­nhada pela banda do Clube Juventude Lusitana.

Velas, muitas velas, debaixo do guarda chuva. Os destemidos crentes da Virgem Maria vieram para a rua, enfrentando condi­ções atmosféricas adversas.

A chuva não impediu a presença de centenas de pessoas, que acompa­nharam o andor num giro reduzido. “Se as condições atmosféricas tivessem colaborado o número dos crentes seria mais do dobro”, dizia-nos Jack Cos­ta, que preside às festivi­dades deste ano em se­tembro.

Mas as celebrações tive­ram a curiosidade de reunir os párocos das igrejas de Santo António de West Warwick, padre Victor Silva, Santa Isabel de Bristol, Richard Narciso e Luís Dutra e da igreja de São Francisco Xavier, Scott Pontes.

O padre Fernando Cabral acompanhado pelo dicano Armando Bartolo dirigiram todo o cerimonial aos pés do novo altar levantado em honra a Maria.

O coro acompanhou os crentes nas canções e orações no seio de uma igreja plena de significado

                                                                

Missão de

Nossa Senhora de Fátima

Os portugueses à medida que se iam radicando pelas mais diversas regiões dos EUA, além da procura ime­diata de posto de trabalho, sempre que possivel cons­truia a sua igreja. E a comu­nidade radicada em Valley Falls, não foi exceção. Os bispos ao verem o sentir cristão dos portugueses no­meavam padres já em exer­cício em outros paróquias, para fazerem o levanta­mento de certas regiões após pedidos de construção de novas igrejas. E foi assim que Valley Falls iria ver erguido o seu local de oração.

A 18 de setembro de 1932 foi colocado na igreja de Santo António em Paw­tucket, que havia sido fundada a 19 de setembro de 1926, o padre Albino Martins que foi incumbido pelo bispo William Hickey de fundar a Missão de Nossa Senhora de Fátima em Valley Falls  o que acontece a 22 de outubro de 1933. Para isso teria alu­gado um salão na Broad Street, onde passou a cele­brar missa aos domingos pelas 9:30.

Antes dessa missa costu­mava pregar o Evangelho à missa das 8:00 da manhã na igreja de Santo António que era celebrada em inglês pelo reverendo J.D. Mete­vier, capelão  de uma casa idosos em Pawtucket.

Mais tarde voltava a Santo António para celebrar em português a missa das 10:30. A paróquia de Santo António já contava nessa altura com 400 familias e 1800 paroquianos. Na missão de Nossa Senhora de Fátima em Valley Falls registava-se a presença de 200 famílias e 100 em Central Falls.

O edifício alugado para a Missão de Nossa Senhora de Fátima era localizado nas esquinas da Broad Street e Meeting Street. Seria a primeira con­gregação dedicada a Nossa Senhora de Fátima nos EUA e possivelmente a primeira fora de Portugal.

Em janeiro de 1940, por morte do padre José Patrí­cio Lopes, pastor de Santo António de Riverpoint o bispo Francis Keough nomeia para sua substi­tuição o padre Martins. Por sua vez, o padre Francisco Vicente, que assistia em Riverpoint, é transferido para Pawtucket na capa­cidade de pastor.

Deste padre pouco se sabe a não ser que manteve a igreja de Santo António no bom caminho até ao seu falecimento vitimado por um cancro.

Em 1944 é colocado na paróquia de Santo António em Pawtucket o padre Silvino Raposo, que era coadjutor na igreja de Nossa Senhora do Rosário.

Dado o aumento da comunidade portuguesa o então bispo Keough estava a pedir padres portugueses para a diocese de Providence.

O padre José Pedro Barbosa, natural da freguesia dos Fenais da Luz, onde nasceu a 8 de setembro de 1915 teria sido um dos convidados para vir para a Diocese de Providence, graças à intervenção do padre Silvino Raposo que havia trabalhado com o padre José Barbosa, quando ainda nos Açores.

Havia prestado serviço na Fajã de Baixo. Passado dois meses foi enviado para as freguesias do Cabouco e da Atalhada na vila da Lagoa.

O padre José Barbosa chegou a Rhode Island em 1945. Tinha então 30 anos. Foi coadjutor em East Providence (igreja de São Francisco Xavier) durante dois anos. Newport (igreja de Jesus Salvador) por nove meses. West Warwick (igreja de Santo António) seis meses, regressando a East Providence (São Francisco Xavier).

Em 1950 é colocado na igreja de Santo António em Pawtucket, onde era pastor o padre Silvino Raposo, que encarrega  o padre José Barbosa da Missão de Nossa Senhora de Fátima em Cumberland, que havia sido constituída a 22 de outubro de 1933  pelo padre Albino Martins, que era pároco na igreja de Santo António em Pawtucket.

Em 1942 o reverendo Silvino Raposo reconstruiu o interior da igreja com genuflectórios, imagens e um altar adquirido à igreja de Santo Eduardo em Pawtucket.

Fernando Lourenço, já falecido, mas que em entrevista que nos deu para o “Portuguese Times” a 24 de novembro de 2004, sendo o sócio mais antigo do Clube Juventude Lusitana nos disse: “Fui o primeiro a casar na Missão de Nossa Senhora de Fátima, no segundo andar do edifício onde estava a loja de mobilias do judeu. O primeiro funeral foi do meu primo Manuel Lourenço. O meu filho Fernano Lourenço, não foi o primeiro a ser ali batizado, por não haver pia batismal”, dizia-nos Fernando Lourenço.

Um incêndio a 31 de Dezembro de 1962 reduz a cinzas aquele que era o recanto dominical dos portugueses de “Valley Falls”.

A Missão de Nossa Senhora de Fátima no cruzamento das  Broad Street e Meeting Street era um modelo único de arquitectura anterior à Primeira Guerra Mundial.

No dia 1 de janeiro de 1963 os paroquianos começaram a difícil tarefa de salvar tudo o que havia para salvar e que tinha escapado à fúria das chamas. Formou-se uma comissão para a reconstrução. O então padre José Barbosa, com uma visão mais alargada da comunidade, quer passar da Missão de Nossa Senhora de Fátima, destruída pelas chamas, para uma igreja digna dos portugueses.

A 19 de Julho de 1964 o então bispo Russel J. McVinney reuniu-se com a comissão de construção e um grupo de paroquianos e finalmente dá autorização (não muito fácil, como nos dizia o padre José Barbosa) para a construção da igreja de Nossa Senhora de Fátima.

A 24 de Junho de 1965 é lançada a primeira pedra do que viria a ser uma das mais bonitas e significativas igrejas portuguesas. A autorização para a construção da nova igreja foi dada pelo Papa Pio XII a 24 de Fevereiro de 1953.

Ida Ramos, presidente das Senhoras do Rosário, efectuou uma rifa que deu um lucro de $7.00 (estavamos em 1953).

 

Os simbolismos da igreja de Nossa Senhora de Fátima

Quem dedicar uns minutos a admirar a igreja de Nossa Senhora de Fátima vai encontar um conjunto de curiosos simbolismos que atestam a presença de Portugal nos EUA.

Na fachada da igreja encontra esculpida na pedra; Brasão de Armas da Diocese de Providence; Brasão de Armas do bispo McVinney, Pedra Angular da Igreja, Padrão que assinalava os lugares descobertos pelos portugueses, Cruz da Ordem de Cristo, Esfera Armilar,

Cruz da Ordem de Cristo que atravessa a esfera, simbolo da terra (na frente da igreja), representa Portugal que descobriu a maior parte do mundo. A Cruz da Ordem de Cristo pode ver-se na frente e trazeiras da igreja. A igreja dispõe ainda de torre sineira e santuário onde é rezada missa campal por altura das festas em Setembro.

No interior do templo pode ver a Cruz da Ordem de Cristo dos lados dos bancos assim como no candeeiro suspenso do tecto.

O acesso ao altar é efectuado por seis degraus. O primeiro simboliza a existência de um só Deus. Os três seguintes a Santíssima Trindade e os dois últimos os principais mistérios da nossa Fé. A Encarnação de Deus como homem e a sua morte e ressurreição.