Conferência internacional sobre a imigração portuguesa em Massachusetts

 

Teve início dia 3 de de­zembro e termina hoje, dia 6, uma conferência acadé­mica internacional sobre a imigração portuguesa no estado de Massachusetts. A conferência foi itinerante e teve lugar em vários locais como o Boot Cotton Mills Museum, Lowell Historical Center / UMass Lowell; New Bedfod Whaling Mu­seum; UMass Dartmouth e Casa dos Açores da Nova Inglaterra, Fall River.

A conferência foi aberta ao público, é parte de um projeto financiado pelo European Research Council e incluiu visitas guiadas a museus e antigas fábricas têxteis em Lowell, New Bedford e Fall River, onde trabalharam sucessivas levas de imigrantes portu­gueses e não só.

O projeto foi liderado pela antropóloga Cristiana Bastos, pesquisadora sénior da Universidade de Lisboa, que ganhou um subsídio de 2,2 milhões de euros do European Research Council para estudar, durante cinco anos, a racialização de trabalhadores migrantes europeus em todo o mundo.

O antropólogo Miguel Moniz, da Universidade de Lisboa (nascido no Cape Cod e conhecedor da comu­nidade luso-americana, de que fez parte), colabora no projeto e disse que se trata da maior bolsa de ciências sociais concedida em Portugal. Moniz trabalhou na preparação da confe­rência cerca de um ano, colaborando com uma longa lista de investiga­dores.

No dia 5, no Whaling Museum, em New Bedford, Rose Rodrigues, professora assistente de sociologia da Universidade Fairfield, apresentou uma imagem demográfica da comuni­dade portuguesa de New Bedford em 1900 e, com a ajuda do estudante de pós-graduação Jonathan Del­gado, digitalizou um mapa de New Bedford e traçou dados para cada casa portu­guesa registada em 1900, quando a caça à baleia se aproximava do fim e New Bedford começava a ser uma cidade têxtil. Nesse ano, New Bedford tinha 62.442 habitantes e mais de 7.000 eram portugueses que faziam pela vida, compra­vam casas e radicavam-se.

“Não é apenas um fator. Não é um simples relacio­na­mento de causa e efeito “, disse Rose Rodrigues. “Os mapas mostram como os trabalhadores qualifi­cados tendiam a  agrupar-se em certas áreas da cidade”. 

Para Miguel Moniz, um dos motivos de interesse da conferência foi a partici­pação de antigos residentes falando da sua vida nas fábricas e das comunidades naqueles tempos. Um dos participantes foi Philip Silvia, historiador de Fall River.

A conferência serviu também como uma reunião de trabalho dos pesqui­sadores que colaboram no projeto The Color of La­bour: the Racialized Lives of Migrants e  organizam um volume sobre o tema do projeto, intitulado “A Cor do Trabalho: As Vidas Ra­cializadas dos Migrantes”. Os pesquisadores apresen­ta­ram seus estudos em Lowell no dia 4 de de­zembro.

A conferência foi patro­cinada conjuntamente pelo Projeto Cor do Trabalho: as Vidas Racializadas dos Migrantes (Projeto ERC Advanced Grant) do Insti­tuto de Ciências Sociais, Universidade de Lisboa; Center for Portuguese Studies, UMass Dartmouth; Ferreira-Mendes Portu­guese Americans Archives, UMass Dartmouth; Saab Center for Portuguese Studies, UMass Lowell; Boott Cotton Mills Mu­seum, Lowell;  Whaling Museum, New Bedford e Casa dos Açores da Nova Inglaterra, Fall River, onde terá hoje lugar a sessão de encerramento.

A conferência procurou fornecer uma visão geral do trabalho dos trabalhadores imigrantes nas fábricas da Nova Inglaterra a partir do final do século XIX,  parti­cularmente os portugueses.

Entre outros, participa­ram na conferência os se­guintes professores: Robert Forrant, Kady Phelps, Molly Mahoney e Frank Sousa, UMass Lowell, que se ocuparam dos portu­gueses em Lowell; Cristiana Bastos, Universidade de Lisboa, o surgimento da comunidade portuguesa em Cambridge; Graça Cor­deiro, Instituto Universi­tário de Lisboa, os novos imigrantes de Portugal;

Miguel Moniz, Univer­sidade de Lisboa, o asso­ciativismo português na Nova Inglaterra; Andres Novoa, Bridgewater Uni­versity, a época baleeira;

Silvia Oliveira, Rhode Island College, organiza­ções civicas  portuguesas;  

Carmen Ramos Villar, Sheffield University, Reino Unido, evocação de Joseph Conforty; Paula Rioux, UMass Darmouth, portugueses de Fall River em 1920; Rose P. Rodrigues, Universidade de Fairfield University, New Bedford em 1900; Maria de Sá, UMass Dartmouth, comunidades do Sudeste da Nova Inglaterra; Camilo Viveiros, UMass Dart­mouth, as fábricas

multi-étnicas; Philip Silvia, Bridgewater State University, imigração depois da Guerra Civil.

Nos Ferreira-Mendes Portuguese American Archives, na UMass Darmouth, Sónia Pacheco organizou uma exposição de fotografias e outros documentos sobre a comunidade portuguesa no Audeste de Massachusetts em 1920 e Daniel Geor­giana, da UMass Dart­mouth, recordou a participação portuguesa na histórica greve de 1928 em New Bedford.