Dia de Portugal RI 2017 com novo logotipo

 

“Uma nova imagem, uma nova diretriz no 40.º aniversário”

— Márcia Sousa, vice-cônsul de Portugal em Providence

 

As celebrações do Dia de Portugal/RI/2017 mantêm as reuniões preparativas no seio do poderoso poder associativo, que sendo único é meio caminho andado para mais um ano repleto dos mais relevantes sucessos.

A passada quinta-feira reuniu os grandes obreiros das celebrações no Brightridge Club, em East Providence, para dar seguimento aos preparativos, num programa semelhante aos anos anteriores, que esta coisa de programa não se muda, quando o figurino é um suceder de êxitos.

E isto além do mais é uma contínua prova da preservação da língua, cultura e tradição, de uma portugalidade que se enraizou por estas paragens e continua a dar frutos.              

Quando se vê a jovem Theresa Agonia, assessora do mayor de Providence, que foi Miss Dia de Portugal, Miss Rhode Island, e que esteve na final da Miss USA, a enca­beçar juntamente com Melissa Brasileiro a responsabili­dade do certame Miss Dia de Portugal/RI/2017 já é uma vitória de uma segunda geração a falar português no contexto das celebrações. Ambas as jovens são fruto da escola portuguesa do Clube Juventude Lusitana e conse­quentemente do Danças e Cantares. Theresa Agonia man­tém-se ativa junto da comunidade. E junto das celebrações do Dia de Portugal.

“Uma nova imagem. Uma nova directriz. Um grandioso êxito. Um estrondoso 40.º aniversário”, disse Márcia Sou­sa, vice-cônsul de Portugal em Providence, na sua inter­ven­ção no decorrer da reunião e que espera desta edição das celebrações um tremendo êxito, em continuação dos anteriores.

“Se as edições anteriores foram o suceder do trabalho cuidado das mais diversas comissões, a passagem do 40.º aniversário tem de ser memorável.

A entrada no recinto do arraial no seguimento da parada das tochas, provenientes do festival WaterFire, que à priori podemos arriscar vai ser um tremendo êxito, exige mais algo diferente. Vamos fazer os possíveis e impossíveis, por ter algo inédito. E estou certo que a comissão presidida pelo antigo vice-cônsul Leonel Teixeira nos vai surpre­ender. Vamos a isso”, referiu Márcia Sousa, que não se tem poupado a esforços para que a efeméride seja cele­brada com o melhor do seu saber. E se falamos em saber, na ausência do presidente Leonel Teixeira, na última reunião,  assumiu a responsabilidade da orientação dos trabalhos Maria João Martins. Mostrou ali que tem todas as características para assumir a futura presidência das celebrações.

Pela mão de Orlando Mateus, foi apresentado um novo logo das celebrações. E daí a referência de Márcia Sousa, à nova inagem.

Mas entretanto o pequeno almoço do Dia de Portugal, está agendado para 9 de abril no Brightridge Club em East Providence entre as 8:30 e meio dia.

O Festival de Gastronomia e Foclore, acontece a 23 de abril com início pelo meio dia, no Clube Juventude Lusita­na em Cumberland. Entre a excelente gastronomia temos o folclore a completar uma tarde que à priori se antevê de mais um grandioso êxito. Se nos anos anteriores tem sido o arranque para o êxito das celebrações, não há razão, para não se esperar o mesmo este ano.

No dia 20 de maio, sobe ao palco do Clube Juventude Lusitana, o certame Miss Dia de Portugal/RI/2017. 

E aqui vamos esperar ver a nossa talentosa juventude a mostrar o orgulho nas suas raizes.

A 22 de maio, o Pawtucket Country Club, recebe o Tor­neio de Golfe do Dia de Portugal. O torneio reúne os prati­cantes da modalidade que além de fazerem o que gostam, estão a ser um grande contributo financeiro para as celebrações. O Torneio de Tiro aos Pratos que tem lugar no Cranston Portuguese Rod and Gun Club, 425 Gardner Road, Exeter tem sido mais uma modalidade a revestir-se do maior êxito anualmente. As cerimónias oficiais na State House, assim como as que antecedem a parada, vão ter a presença da  governadora de Rhode Island Gina Raimondo, assim como dos senadores e congressistas com assento em Wahinghton, juntamente com os luso eleitos. Arrais, WaterFire e parada, dixamos para a próxima edição.                                

“Os portugueses começaram-se a radicar em Newport durante os tempos coloniais. Por certo o mais famoso por­tu­guês em Newport foi Aaron Lopes, que nasceu em Lisboa em 1731. Veio para Newport em 1731 tendo sido um dos obreiros do Touro Synagogue a mais antiga existen­te nos EUA. Entre 1840 e 1850 a indústria da baleia recru­tou pescadores portugueses que se começaram a radicar em Warren, Bristol, Providence, especialmente em Fox Point e Newport. Entre os anos de 1880 e 1920 surge a indústria textil e os portugueses radicados por estas para­gens penduram o arpão dedicam-se à tecelagem.

Quando Patrick Kennedy concorreu para deputado pelo Distrito 1 em 1994, o senador Claiborne Pell, disse-lhe: “Os luso-americanos são uma força politica adormecida”.

 

• Fotos e texto de Augusto Pessoa