Mitchell propõe orçamento de $324,7 milhões para New Bedford em 2018

 

O mayor Jon Mitchell apresentou ao conselho municipal de New Bedford a sua proposta de orça­mento para o ano fiscal de 2018, no montante de 324,7 milhões de dólares, 3,9% acima do ano passado e com 85% dos gastos mandatados pelo Estado, que são os custos de saúde dos funcionários muni­cipais e os encargos da escola charter. Para Mit­chell, a questão mais urgente é colocar os planos obter de saúde municipais nos trilhos antes que comecem a custar dinheiro e serviços aos residentes.

“O problema mais urgen­te no orçamento deste ano envolve o programa de saúde da cidade e se for deixado sem controlo, inevitavelmente provocar um aumento significativo dos impostos”, disse Jon Mitchell.

A parcela municipal no programa de saúde deve aumentar em 3,5 milhões de dólares em relação ao orçamento do ano fiscal de 2011. As pensões da cidade também aumentarão em mais um milhão. A cidade também é responsável por contribuir com 12,1 mi­lhões para escolas charter locais, acima dos 10,5 milhões em FY17.

Os gastos com as escolas públicas de New Bedford propostos são 131 milhões, um aumento de 3,5%.

No seu discurso, Mit­chell referiu a necessiudade de continuar a reduzir gastos. Desde 2014, a cidade reduziu quase 1,3 milhões nas despesas anuais de energia. Do ano fiscal de 2009 até ao ano fiscal de 2016, a cidade também reduziu os encargos de tempo integral 12,7%. Por outro lado, o emprego aumentou 11,1% desde 2012, a receita de imposto de consumo de veículos motorizados e a receita de refeições e ocupação de quartos aumentaram 26% desde 2012, o volume de licenças de construção subiu 25% desde 2012. Mas as novas receitas de crescimento totalizaram apenas 1,9 milhão em 2016, acima de 0,7 milhões em 2012, e não acompanharam o ritmo dos aumentos custos dos serviços municipais.