Carlos do Carmo encheu a alma dos portugueses

 

 

Integrado no festival “Viva Portugal”, que conheceu no passado sábado a sua segunda edição, realizou-se na noite do mesmo dia um espetáculo de fado tendo como prota­gonista um dos maiores embaixadores da canção nacional, com um currículo verdadeiramente marcante, premiado com um Grammy Latino, recentemente condecorado com o título de Grande-Oficial da Ordem de Mérito por Marcelo Rebelo de Sousa, presidente da República de Portugal.

Carlos do Carmo, acompanhado por um excelente trio de guitarristas (José Manuel Neto, na guitarra portuguesa, Carlos Manuel Proença, viola de fado e Daniel Pinto no baixo acústico), foi igual a si próprio na noite do passado sábado no Zeiterion Performing Arts Center, em New Bedford: uma voz inconfundível, que enche a alma dos portugueses e daqueles que gostam de fado, com rigor interpretativo excelente e uma presença em palco e comunicabilidade com o público, mesmo expressando-se em inglês, invulgares.

Entraram em palco Rosemary Gill, diretora executiva do Zeiterion, Pedro Carneiro, cônsul de Portugal em New Bedford e Michael Tavares, empresário da Horacio’s Sheet Metal, firma que tem apoiado espetáculos com artistas portugueses nesta região, sobretudo naquela excelente sala de New Bedford. Rosemary começou por dar as boas vindas aos presen­tes, enaltecendo e agradecendo o empenho de todos os intervenientes e público em geral no grande contributo pres­tado para que a segunda edição do “Viva Portugal” fosse sucesso, como na realidade foi, não obstante as adversas condições atmosféricas. O cônsul de Portugal em New Bedford, grande apoiante desta e de outras iniciativas sócio-culturais e que foi distinguido com uma placa de reconheci­mento por parte da comissão organizadora do Viva Portugal, salientou também o envolvimento de várias organizações lusas da comunidade neste festival de rua fazendo antever a sua continuidade e por fim Michael Tavares agradeceu o apoio de todos regozijando-se com o sucesso de mais uma edi­ção deste festival que é sem dúvida um excelente instru­mento de divulgação e maior visibilidade da comunidade e da nossa cultura perante outros grupos étnicos.

O espetáculo de Carlos do Carmo, em duas partes, ansiosamente aguardado pelos presentes, que esgotaram praticamente a sala, começou com um instrumental dos guitarristas para logo em seguida Carlos do Carmo surgir em palco, fortemente aplaudido. Expressando-se muito bem na língua de Shakespeare, o filho da popular fadista Lucília do Carmo (1919-1998) começou por interpretar alguns fados dos seus mais recentes álbuns, e aos poucos foi revisitando os maiores sucessos da sua carreira, com temas de grandes poetas e autores, nomeadamente Manuel Alegre, Paulo de Carvalho, José Carlos Ary dos Santos, Júlio Pomar, Frederico de Brito e muitos outros.

Com uma carreira de 53 anos, Carlos do Carmo, 77 anos de idade, foi muito aplaudido sobretudo quando evocou os seus grandes sucessos: “Os Putos”, “Estranha forma de vida”, “Por morrer uma andorinha”, “Bairro Alto”, “Duas lágrimas de orvalho”, “Fado da Saudade”, mas os temas mais aplaudi­dos foram “Canoa do Tejo” e a finalizar, “Lisboa, menina e moça”, com os presentes a aplaudirem de pé, numa noite verdadeiramente inesquecível para intérprete e público. Cantou um tema do folclore terceirense “O Sol”, acompa­nhado apenas pela viola clássica de Carlos Manuel Proença, fez referência à sua última digressão por estas paragens, há mais de trinta anos e elogiou duas figuras da comunidade: o professor Onésimo Almeida, a quem publicamente agradeceu a sua presença e reconhecendo tratar-se “de um inteletual fora de série e de um português de grande valor” e ainda Pedro Carneiro, cônsul de Portugal em New Bedford, pelo seu excelente trabalho desenvolvido em prol da comunidade.

A certa altura do espetáculo Carlos do Carmo disse: “Tenho uma convidada especial, uma jovem que nasceu nos EUA e que canta muito bem o fado, como se tivesse na realidade nascido num bairro lisboeta, senhores e senhoras convosco Nathalie Pires”. A jovem demonstrou uma vez mais que tem “alma fadista” e certamente que este espetáculo ficará guardado na sua memória, uma vez que atuar com um grande vulto do fado e da música portuguesa não acontece todos os dias. Cantou um dueto com o embaixador do fado, que por sua vez mostrando-se grande admirador do saudoso Frank Sinatra (já havia revelado isso na entrevista concedida ao PT na edição de 01 de março), cantou com Nathalie o tema: “The Shadow of Your Smile”. Uma interpretação em duo que levou ao rubro os presentes, os quais foram convidados, ao longo da noite, a cantarem o coro de alguns dos mais po­pu­lares temas do fadista português, que atua em média um espetáculo por ano. “É uma grande honra para mim atuar aqui em New Bedford e como apenas tenho autorização para cantar uma vez por mês, fiz questão de reservar o mês de maio para esta cidade”, disse a dada altura Carlos do Carmo.

O espetáculo terminou com o tema “Lisboa, menina e mo­ça”, com todos os presentes a cantarem de pé, num espetáculo que ficará gravado na memória de quem teve a felicidade de ver e ouvir ali de perto o maior embaixador do fado.

 

• Texto: Francisco Resendes • Fotos: Feligénio Medeiros