State House em Providence floresceu de vermelho em apoio à linha da frente contra o coronavírus

 

 

A governadora de Rhode Island, Gina Raimondo, numa iniciativa digna dos mais altos elogios, resolveu dignificar o trabalho dos homens e mulheres da Linha da Frente.
Médicos, enfermeiras, técnicos, assim com todo o pessoal dos serviços de saúde, corporações de bombeiros, equipas das ambulâncias, polícia estadual, departamentos da polícia de vilas e cidades, pessoal do exército (700 homens e mulheres), foram reconhecidos pelo seu serviço público.
A governadora mandou iluminar a State House, com focos de luz vermelha, num agradecimento público ao esforço dos destemidos homens e mulheres que colocam a sua vida em perigo, para salvar as vítimas do coronavírus.
Não sendo uma tarefa fácil, pelo perigo que rodeia este vírus de fácil contágio, a Linha da Frente, ciente da sua responsabilidade profissional, enfrenta a situação perante o julgamento que fez, ao receber o diploma de formatura, nas diversas profissões.
Com uma mão no bisturi e outra na Bíblia e fé em Deus, o profissional entrega-se na mão do Criador.
Vimos uma jovem médica levantar-se de um grupo de médicos de joelhos em terra. “Fazemos os possíveis por salvar vidas, nesta terrível situação que atravessamos. Mas, sem nunca esquecer quem acima de nós existe, Deus, todo poderoso, a quem pedimos a sua imprescindível ajuda”.
Daqui se depreende que a atitude da governadora Gina Raimondo, ao mandar abrir os focos vermelhos na State House em Providence, é um sinal que acima dela e de todos os profissionais existe alguém muito mais poderoso que pode acalmar o ímpeto destruidor do coronavírus.
Vamos tentar chegar a Ele a através da luz, até porque estamos, próximos da Semana Santa em que das trevas se fez luz. 
Cerimónia que este ano, como tantas outras, estão canceladas, pela proibição de ajuntamentos, que eram de 10 pessoas e agora já são somente 5.
“Sigam as leis impostas tendentes a travar a contaminação do vírius, ou vejo-me obrigada a fechar o  estado”, sublinhou Gina Raimondo, acrescentando: “Se não forem seguidas à regra as ordens que têm sido dadas a partir da State House obrigam-me a encerrar o estado inteiro. Repito, não pode haver ajuntamentos de mais de 5 pessoas e com distância entre elas. Estas normas irão manter até 13 de abril”.
E Gina Raimondo vai mais longe: “A ida ao supermercado deve-se limitar a uma vez por semana. Podem ir duas pessoas. Mas o mais aconselhável é ir apenas uma pessoa. E não levar muito tempo”. 
E a governadora não se fica por aqui. “Devem usar máscara e luvas. Vamos continuar a usar todos os estratagemas para conter a propagação do coronavírus. E já como aqui tem vindo a ser referido, devem-se lavar as mãos constantemente por 30 segundos”.
E no meio de tudo isto, a entidade máxima do estado de Rhode Island, alerta para um fator de extrema importância. “Fiquem em casa. Saiam só em caso de extrema necessidade. Se tiverem quem faça as compras não saiam. Esta medida é extremamente importante. É uma das formas de evitar a contaminação do vírus. Repito, se todas as medidas em vigor não forem tomadas vejo-me obrigada a fechar o estado”, sublinhou a governadora. 
Estamos a escrever esta crónica pelas 4:00 do passado domingo, 5 de abril, em que se registava um aumento de 116 casos. Totalizado 922 e 25 mortos. No mesmo dia, registavam-se 103 hospitalizados em Rhode Island. 
Na estrada 195 na direção Fall River/Providence, na entrada para o estado de Rhode Island, está sob a autoestrada um aviso luminoso que lê “Pessoas que regressem a Rhode Island sem relacionamento com funções profissionais devem-se manter em quarentena por 14 dias”.
É mais uma lei que está a ser implementada como forma de travar a contaminação do vírus.
O tráfego naquela popular estrada de ligação era diminuto, ou mesmo nulo, como se pode comprovar pelas fotos que ilustram o trabalho. 
No respeitante aos restaurantes portugueses em Fall River a popular Tabacaria Açoriana, ostentava na porta “Open Take Out Only”.