Quedas

 

 

O nosso senado federal tem comissões para tudo, algumas de valor duvidoso, mas outras de grande importância, como a Comissão Especial sobre o Envelhecimento. Este grupo avalia informações sobre tudo que se possa aplicar ao setor etário mais avançado e aos problemas do envelhecimento. Estas informações resultam em alertas para a população, medidas que diminuam os problemas identificados e educação de técnicos e população em geral.
Um dos dados recentes menos animadores provenientes desta comissão, é o facto de que as mortes devidas a quedas duplicaram na última década, e muitos mais sofreram ferimentos graves. No ano de 2017 mais de 31 mil americanos morreram devido a quedas diversas, quase o dobro de uma década atrás. Mais ainda, o custo de tratar destes ferimentos está a causar uma grande drenagem de fundos no orçamento da saúde. 
As quedas são a maior causa de ferimentos fatais ou não fatais nos adultos com mais de 65 anos, e para além do custo humano, a despesa anual ao orçamento da saúde chegou a 50 mil milhões (billions) em 2015, podendo duplicar em 2030, uma enorme despesa para o Medicare e Medicaid, que suportam 75 por cento dos custos.
Ajude-se a si próprio evitando as quedas. Aconselho a consultarem o website da American Association of Retired Persons (AARP) para importantes informações em como fazer prevenção: aarp.org/stopfalls.
Entretanto mantenha-se ativo. O leitor pode pensar que com a atividade os riscos de quedas são maiores, mas na realidade, o manter-se ativo diminui os riscos e consequentes custos físicos e emocionais do trauma devido a quedas. Haja saúde!