Amigos... Vamos esquecer as amarguras da vida!

 

Há que esquecer, meus amigos,
O que se está a passar,
Esquecer o mal, os perigos,
Conjugar o verbo Amar!

Vamos-nos pensar ser gente,
Seguir as boas estradas.
Dando um Amor, mutuamente,
Seguir Cristo de mãos dadas!

Porque, sem Cristo senhores,
É uma calamidade,
Com tantos agitadores,
Só nos anima a maldade!

E ela está tão avançada,
Que não há de quem fiar,
Porque agora a coisa errada,
É a verdade a ficar!

Uma mentira teimosa,
Dita aos milhares repetida,
Passa a ser verdade honrosa,
E, a fazer parte da vida!

E é o que estão usando,
No mundo, de tal maneira
E, o povo vai respirando,
Ingerindo, com cegueira!

Porque, no meu entender,
A cegueira é bem patente.
Que mostra não querer ver
Depois, faz-se de inocente!

Este mundo, se em geral,
Houvesse um entendimento,
Nunca mais seria igual,
Ao que nós temos presente!

Todos para o mesmo fim,
Juntos, de gente sabida!
O mundo era, quanto a mim,
Paraíso, já em vida!

Em vez disto, meus amigos,
A nossa verdade troca,
Ficam uns comendo os figos,
Aos outros, rebenta a boca!

Ai quantos, a olhos vistos,
Cujo seu viver interesseiro,
Vivem a venderem Cristos,
Agora, por mais dinheiro!

E na venda estão legais,
Porque quem os vai julgar,
Por vezes, são bem iguais,
Tem que os inocentar!

Mas, isto é para esquecer
Vamos com sinceridade,
Dar Amor e receber,
Sempre na pura verdade!

Que ninguém fique indeciso,
Fazer deste mundo inteiro
O sonhado Paraíso,
Sem ganâncias no dinheiro!

Com isto aqui declarado,
Será que, eu estou acordado?

P. S. 

O querer já é poder!

Posso estar certo ou errado,
Mas, não há que esmorecer,
É difícil, bem pensado,
Lembra, Querer é Poder!

E quem não quer, nada pode,
Porque a vontade é que é
O querer que nos acode,
A Força, a nossa Fé!

E, nossa Fé, podem crer,
É o interesse de  vencer!