É assim mesmo!

 

É assim mesmo, eles dizem para seres bom menino ou boa menina, tenhas boas notas, tens de ir para a universidade e encontrar um bom emprego.
É asim mesmo, eles dizem para poupares dinheiro e abrires uma conta no banco preparando-te assim para a tua reforma.
Mas afinal não é assim mesmo, porque estamos a ser todos enganados por aqueles que se dizem líderes, que pedem os nossos votos com mil promessas dum futuro brilhante.
Brilhante? Para quem?

É assim mesmo, fomos todos enganados por um grupo de gananciosos e muitas vezes sem escrúpulos porque fomos levados a acreditar que a felicidade nos batia à porta se acreditássemos no que nos era dito em rádios e televisões e outros meios de comunicação.
É assim mesmo, foi-nos dito que se ouvíssemos as suas palavras que tudo acabaria em bem para nós.
Mas afinal não é assim mesmo porque após tantas palavras bonitas há pesquisas mostrando que 1 em cada 3 americanos não podem poupar dinheiro para a sua reforma e pior ainda não têm nem um centavo na sua conta bancária e para agravar ainda mais, essas mesmas pesquisas mostram que apenas 20% dos americanos não têm dívidas.
É mesmo assim, já nada me surpreende, não quando milhares de estudantes contraem empréstimos de $40,000.00 por ano sonhando obter um diploma que os leve a uma vida confortável para depois descobrirem que têm de voltar a casa dos pais porque não têm os recursos necessários para sobreviverem financeiramente.
Embora haja uma tentativa do presidente para perdoar essas dívidas, os tais que nos dizem coisas bonitas, que nos enganam constantemente, que enriquecem à nosa custa enquanto se opõem-se a tal perdão. De notar que emprésimos estudantis são os únicos empréstimos que atualmente não podem ser perdoados mesmo que um estudante  declare falência.
Num relatório publicado pelo Mckinsey Global Institute “Poor than their parents” (mais pobres que os pais) mostra uma tendência de queda na classe media, mostrando ainda que até 70% das famílias viram seus rendimentos caírem na última decada.
Aliás, nós não precisamos de estudos ou sondagens para sabermos que na América o pobre está a ficar mais pobre e o rico mais rico, basta ver nas nossas cidades e pelos cantos mais movimentados os pedintes e os sem abrigo que crescem de forma assustadora.
É assim mesmo, continuamos a ouvir, a acreditar, e a votar nos mesmos vigaristas que fazem da política uma carreira profissional.
É assim mesmo, não há limite nos termos que servem e nós ingenuamente continuamos a votar ano após ano nesses mesmos políticos que sem coração e sem piedade continuam a usar o termo democracia para seu própio benefício.

É assim mesmo, agora que estão alertados para a triste realidade, pense bem, porque nas próximas eleições podemos exigir o retorno da verdadeira democracia que por muitos anos prevaleceu na América.

 

António Teixeira
Fall River, MA